O Arco-da-Velha na Escola: no reconhecimento público das diversidades culturais em escola inclusa

Palavras-chave: Multiculturalidade, Interculturalidade, Diversidade cultural, Políticas públicas, Práticas educativas

Resumo

Profissionais de duas escolas, uma portuguesa e outra brasileira, foram postos à prova da inclusão escolar a propósito das suas considerações sobre a maneira como se expressam índices culturais múltiplos nas suas escolas. Como é que essas manifestações culturais coabitam no decurso da escolarização levada a cabo na escola? Que indícios apresentam quando confrontados/as com públicos diversos matriculados na sua escola? Como examinam as convivências entre uns e outros nas atividades proporcionadas pela escola? Como incluem nas aprendizagens os lados tangíveis das expressões culturais no plural? Dando conta dos questionamentos levantados por estes/as profissionais, o artigo mostra como os conceitos de multiculturalismo, interculturalidade e diversidade cultural são ressignificados nas linhas mestres das políticas e ações públicas no Brasil e em Portugal. E a partir desta exploração analítica observar como estas linhas são interpretadas nestas escolas pelos/as profissionais. Para finalmente alargar o questionamento destes conceitos às controvérsias levantadas por cientistas da área da educação que as suscitam a propósito dos intentos públicos manifestados por múltiplas equipas que têm governado a educação nestes países.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Manuel Resende, Universidade de Évora, Portugal
Doutor em Sociologia pela Universidade Nova de Lisboa (2001). Professor Catedrático no Departamento de Sociologia da Universidade de Évora - Portugal. E-mail: josemenator@gmail.com.
Guilherme Paiva Carvalho, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Mossoró/RN
Pós-Doutor em Ciências Sociais pela Universidade de Évora (UÉvora). Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino (UERN/UFERSA/IFRN) e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanas (PPGCISH/UERN) – Mossoró/RN – Brasil. E-mail: guimepaivacarvalho@gmail.com.
Aline Raiany Fernandes Soares, Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Mossoró/RN
Técnica Administrativa em Educação na Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Mestre em Ensino (UERN/UFERSA/IFRN) – Mossoró/RN – Brasil. E-mail: alineraiany722@gmail.com.

Referências

ABRANTES, P. et al. “A escola dos ciganos”: contributos para a compreensão do insucesso e da segregação escolar a partir de um estudo de caso. In: Configurações [Online], v. 18, dez. 2016. DOI: https://doi.org/10.4000/configuracoes.3658.

ALMEIDA, J. C. P. A Escola e a Diversidade Cultural: Algumas notas sobre a Educação multicultural em Portugal. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 14, n. 5, 2006.

ARAÚJO, M. O silêncio do racismo em Portugal: o caso do abuso verbal racista na escola. In: GOMES, N. L. (org.). Um olhar além das fronteiras: educação e relações raciais. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

BUTLER, J. Deshacer el genero. Barcelona, Buenos Aires, México: Paidos, 2006.

CAETANO, P.; MENDES, M. M. Shaping ways of managing diversity. Portuguese schools, from the student’s perspective. International Review of Sociology, v. 24, n. 2, p. 325-344, 2014.

CANDAU, V. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. In: MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. (org.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

CARVALHO, G. P.; SILVA, E. A. Justiça Social e Multiculturalismo: as políticas de reconhecimento de identidades étnico-culturais no Brasil. Direitos Fundamentais & Justiça, v. 31, p. 134-159, 2015.

CARVALHO, G. P.; SILVA, E. A. As religiões afro-brasileiras na escola. Revista Iboeroamericana de Educación (Impresa), v. 76, p. 51-72, 2018.

CARVALHO, G. P.; SILVA, E. A. Diversidade Cultural e Relações Étnico-Raciais na Educação. Contrapontos, v. 20, n. 1, p. 196-216, 2020.

FAÍSCA, L.; JESUÍNO, J. Representações sociais da comunidade cigana na sociedade portuguesa. Lisboa: ACIME, 2006.

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Trad. Sandra Netz. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

HANASHIRO, D. M. M.; CARVALHO, S. G. Diversidade Cultural: panorama atual e reflexões para a realidade brasileira. REAd, Porto Alegre, edição 47, v. 11, n. 5, set./out. 2005. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/read/article/view/40623. Acesso em: 12 set. 2020.

MAGANO, O. Sentimentos de discriminação e racismo de ciganos portugueses. In: SILVA, C.; SOBRAL, J. (org.). Etnicidade, nacionalismo e racismo: Migrações, minorias étnicas e contextos escolares. Porto: Edições Afrontamento, 2015. p. 235-254.

MARQUES, J. F. Do “não racismo” português aos dois racismos dos portugueses. 2007. Tese (Doutorado) - Alto-Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, ACIDI, I.P., Lisboa, 2007.

MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. M. F. (org.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

MUNANGA, K. Rediscutindo a Mestiçagem no Brasil: Identidade Nacional versus Identidade Negra. Rio de Janeiro: Vozes, 1999.

MUNANGA, K. Educação e diversidade étnico-cultural: a importância da história do negro e da África no sistema educativo brasileiro. In: MÜLLER, T. M. P.; COELHO, W. N. B. (org.). Relações étnico-raciais e diversidade. Niterói: Editora da UFF, 2013. p. 21-34.

MENDES, M. M.; MAGANO, O.; CANDEIAS, P. Des-homogeneizar os Ciganos Portugueses: perfis sociais e heterogeneidade sócio-cultural”. OBETS, Revista de Ciencias Sociales, v. 14, n. 1, p. 49-87, 2019. DOI: https://doi.org/10.14198/obets2019.14.1.02

NICOLAU, L. F. Complexidade no percurso escolar das crianças ciganas: relatos de pais e professores. Configurações, Revista de Sociologia, v. 18, 2016.

PEREIRA, A. A.; ARAÚJO, M. Raça, História e Educação no Brasil e em Portugal: desafios e perspectivas. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 42, n. 1, p. 139-160, 2017.

RESENDE, J. M. La reconnaissance publique des différences et de la justice scolaire : de la sociologie critique à la sociologie de la critique. Éducation et Sociétés, Revue Internationale de Sociologie de l’Éducation, n. 15, p. 137-152, jan. 2005.

RESENDE, J. M. O Engrandecimento de uma Profissão: Os professores do Ensino Secundário Público no Estado Novo. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação para a Ciência e Tecnologia, 2003.

RESENDE, J. M. A Sociedade contra a Escola? A Socialização Política Escolar num Contexto de Incerteza. Lisboa: Edições Piaget, 2010.

RESENDE, J. M. Testemunhos analíticos sobre a Inclusão Escolar: a escola para todos pondo à prova a Sociologia Pragmática sobre a Socialização política Escolar. In: CARMO, G. T. (org.). Sentidos da Permanência na Educação. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2016a. p. 235-260.

RESENDE, J. M. A vulnerabilidade está hoje ao centro da condição humana moderna? Questionamentos sociológicos a propósito das categorias dos seropositivos e dos alunos “inadaptados” ao mundo escolar. In: José Manuel Resende (coordenador científico), Bruno Dionísio, Pedro Caetano, João Emílio Alves e António Calha (editores). As Artes de (Re) Fazer o Mundo. Habitar, compor e ordenar a vida em Sociedade, Portalegre, Centro Interdisciplinar de Investigação e de Inovação do IPP, 2016b, p. 97-123.

RESENDE, J. M. As provas da hospitalidade nas escolas do Ensino Secundário em Portugal”. In: ESTEVES, P.; TEIXEIRA, P. (org.). Escola Justa: diversidades, desafios e possibilidades. Curitiba: Brazil Publishing, 2019. p. 64-102. DOI: https://doi.org/10.31012/978-85-68419-98-4

RESENDE, J. M. ¿Y si el portador fuese persono? Entre el secreto y la revelación: el conflicto a flor de piel. In: BERNAL, J. C. G. et al. Problemas públicos: controversias y aportes contemporáneos. Ciudad de México: Instituto de Investigaciones Dr. José María Luis Mora, 2018. p. 509-533.

RESENDE, J. M.; VIEIRA, M. M. As cores da Escola: concepções de justiça nos discursos sobre a multiculturalidade na escola portuguesa. In: CONGRESSO PORTUGUÊS DE SOCIOLOGIA, 4., 2002. Atas 053 […]. Lisboa: APS, 2002. p. 1-20.

RESENDE, J. M.; GOUVEIA, L. As artes de fazer o comum nos estabelecimentos de ensino: outras aberturas sociológicas sobre os mundos escolares. Fórum Sociológico, v. 23, p. 97-106, 2013.

RESENDE, J. M.; GOUVEIA, L.; BEIRANTE, D. A escola virou casa. Dilemas do habitar a escola em Portugal. In: RESENDE, J. M.; CAETANO, P. (Ar)riscar em mundos imprevisíveis e incertos: a crise, formas de (des)legitimação e modos de representação e de mobilização. Carviçais: Editora Lema d’Origem, 2020. p. 329-353.

ROSÁRIO, E.; SANTOS, T.; LIMA, S. Discursos do racismo em Portugal: essencialismo e inferiorização nas trocas coloquiais sobre categorias minoritárias. Lisboa: Estudos OI, 2011.

SEABRA, T. Relação das famílias com a escolaridade e sucesso escolar: comparação entre famílias de origem cabo-verdiana, origem indiana e autóctones. Revista Brasileira de Psicologia Educacional, Araraquara, v. 19, n. 1, p. 163-180, jan./jun. 2017.

SEABRA, T. et al. Imigração e escolaridade: trajetos e condições de integração. In: CARMO, R. et al. Desigualdades Sociais: Portugal e a Europa. Lisboa: Mundos Sociais, 2018. p. 301-314.

VIEIRA, M. M.; DIONÍSIO, B. O trabalho e o lugar dos profissionais do social em escolas TEIP. In: LOPES, J. T. (org.). Escolas singulares: Estudos locais comparativos. Porto: Afrontamento, 2012. p. 83-98.

Publicado
25-08-2021
Como Citar
RESENDE, J. M.; CARVALHO, G. P. DE; SOARES, A. R. F. O Arco-da-Velha na Escola: no reconhecimento público das diversidades culturais em escola inclusa. Revista Vértices, v. 23, n. 3, p. 652-670, 25 ago. 2021.
Seção
Dossiê Temático: "Questões contemporâneas da educação no Brasil e em Portugal"

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##