Prevalência e Características do Tabagismo entre Universitários de Instituições Públicas e Privadas da Cidade de Campos dos Goytacazes, RJ

Autores

  • Érika Robaina de Barros
  • Rodrigo Maciel Lima Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.5935/1809-2667.20110027

Palavras-chave:

Tabagismo, Estudantes, Instituições públicas e privadas

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo estudar a prevalência do tabagismo de uma amostra de universitários de Instituições públicas e privadas da cidade de Campos dos Goytacazes. Participaram da pesquisa 600 estudantes, os quais responderam a um questionário. Da amostra estudada, 85,5% eram não fumantes, 5,5% eram ex-fumantes e 9,0% eram fumantes. Entre os fumantes a faixa etária de início do consumo de cigarros teve maior percentual entre 16 e 17 anos (38,9%), e a curiosidade foi o motivo mais citado (55,6%) para terem começado a fumar. Diante desse quadro, propõem-se a adoção de medidas antitabágicas pela instituição escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Érika Robaina de Barros

Licenciada em Biologia pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, IF Fluminense campus Campos-Centro, Campos dos Goytacazes-RJ, Brasil. E-mail: erikarobaina_88@yahoo.com.br.

Rodrigo Maciel Lima, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense

Doutor em Biociências e Biotecnologia pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro – UENF, Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, IF Fluminense campus Campos-Centro, Campos dos Goytacazes-RJ, Brasil. E-mail: rmaciel@iff.edu.br.

Referências

ALMEIDA, Aline Farias; MUSSI , Fernanda Carneiro. Tabagismo: conhecimentos, atitudes, hábitos e grau de dependência de jovens fumantes em Salvador. Revista da Escola de Enfermagem USP, v. 40, n. 4, p. 456-463, 2006. Disponível em:< http://www.ee.usp.br/reeusp/upload/pdf/276.pdf>. Acesso em: 6 nov. 2011.

ANDRADE, Ana Paula Alves et al. Prevalência e características do tabagismo em jovens da Universidade de Brasília. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 32, n. 1, p. 23-28, 2006.

ARAÚJO, Marcelo Pinto. Responsabilidade civil das empresas fabricantes de cigarros na ótica do código de defesa do consumidor. Salvador, 2002, 51p. Dissertação (Especialização em Direitos Difusos e Coletivos) – Pontifícia Universidade Católica, 2002.

BARBETTA, Pedro A. Estatística aplicada às ciências sociais. 6. ed. Florianópolis: UFSC, 2006, 315p.

BIALOUS, Stella Aguinaga et al. A resposta da indústria do tabaco à criação de espaços livres de fumo no Brasil. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 27, n. 4, 2010. Disponível em: <http://www.scielosp.org/pdf/rpsp/v27n4/a07v27n4.pdf>. Acesso em: 27 maio 2011.

BOEIRA, Sérgio Luís; GUIVANT, Julia Silvia. Indústria do tabaco, tabagismo e meio ambiente: as redes ante os riscos. Cadernos de Ciência & Tecnologia, v. 20, n. 1, p. 45-78, jan/abr. 2003. Disponível em: <http://webnotes.sct.embrapa.br/pdf/cct/v20/v20n1_45.pdf>. Acesso em: 27 maio 2011.

BRASIL. Lei nº 5.517 de 17 de agosto de 2009. Proíbe o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos ou de qualquer outro produto fumígeno, derivado ou não do tabaco, na forma que especifica, e cria ambientes de uso coletivo livres de tabaco. Rio de Janeiro, RJ, 17 de ago. 2009. Disponível em: http://www.amperj.org.br/emails/L-5517.pdf. Acesso em: 26 ago. 2011.

BRASIL. Lei nº 9.294 de 15 de julho de 1996. Dispõe sobre as restrições ao uso e à propaganda de produtos fumígeros, bebidas alcoólicas, medicamentos, terapias e defensivos agrícolas, nos termos do § 4° do art. 220 da Constituição Federal. Brasília, DF, 15 jul. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9294.htm. Acesso em: 28 de maio de 2011.

BRASIL. Lei nº 13.541, de 7 de maio de 2009. Proíbe o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos ou de qualquer outro produto fumígeno, derivado ou não do tabaco, na forma que especifica. Disponível em: <http://www.leiantifumo.sp.gov.br/usr/share/documents/legislacao.pdf>. Acesso em: 26 ago. 2011.

CAVALCANTE, Tânia Maria. O controle do tabagismo no Brasil: avanços e desafios. Revista de Psiquiatria Clínica, v. 32, n. 5, p. 283-300, 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rpc/v32n5/27703.pdf>. Acesso em: 28 de maio de 2011.

CIELO, Carla Aparecida et al. Hábitos de tabagismo e etilismo em disfonias. Revista de Ciências Médicas e Biológicas, v. 9, n. 2, p. 119-125, 2010. Disponível em: <http://www.portalseer.ufba.br/index.php/cmbio/article/view/4943/3605>. Acesso em: 27 maio 2011.

COELHO, Ana Cláudia et al. Conhecimentos sobre tabagismo entre estudantes de medicina. Revista HCPA, v. 30, n. 2, p. 94-99, 2010. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/viewFile/12820/8866>. Acesso em: 27 maio 2011.

ECHER, Isabel Cristina et al. Prevalência do tabagismo em funcionários de um hospital universitário. Revista Latino Americana de Enfermagem, v. 19, n. 1, p. 1-8, jan/fev. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rlae/v19n1/pt_24.pdf>. Acesso em: 28 maio 2011.

ECHER, Isabel Cristina et al. Fatores que contribuem para o abandono do tabagismo. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 28, n. 3, p. 350-358, 2007. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/4681/2609>. Acesso em: 28 maio 2011.

FRAGA, Sílvia et al. Uso do tabaco por estudantes adolescentes portugueses e fatores associados. Revista de Saúde Pública, v. 40, n. 4, p. 620-626, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rsp/v40n4/ao-5231.pdf>. Acesso em: 6 nov. 2011.

GARUTTI Selson; LEON Victor Hugo Livão. O conhecimento sobre os efeitos do tabaco pelos tabagistas do município de Barbosa Ferraz-PR. Revista Saúde e Pesquisa, v. 4, n. 1, p. 29-34, jan./abr. 2011.

HORTA Bernardo Lessa et al. Tabagismo em adolescentes de área urbana na região Sul do Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 35, n. 2, p. 159-164, 2001. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rsp/v35n2/4400.pdf>. Acesso em: 6 nov. 2011.

INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA). Disponível em: <http://www.inca.gov.br/tabagismo>. Acesso em: 27 maio 2011.

JÚNIOR, Carlos Roberto Pagani et al. O tabagismo nos dias atuais. Ensaios e Ciência, v. 2, n. 2, p. 116-122, 2007.

JÚNIOR, Fernando Pivatto et al. Tabagismo entre acadêmicos da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. Revista AMRIGS, v. 53, n.1, p. 34-39, jan/mar. 2009.

LEVY, Cintia Souto et al. O tabagismo e suas implicações pulmonares numa amostra da população em comunidade de Fortaleza - CE. RBPS, v. 18, n. 3, p. 125-129, 2005. Disponível em: <http://www.unifor.br/notitia/file/614.pdf>. Disponível em: 28 maio 2011.

MEIRELLES, Ricardo Henrique Sampaio. A ratificação da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco pelo Brasil: uma questão de saúde pública. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 32, n. 1, p. 2-3, 2006.

MENEZES, Ana. Evolução temporal do tabagismo em estudantes de medicina, 1986, 1991, 1996. Revista de Saúde Pública, v. 35, n. 2, p. 165-169, 2001.

MIRANDA, Jéssica Steff et al. Prevalência e fatores associados ao tabagismo em uma unidade universitária. Enfermagem Brasil, v. 8, n. 5, p. 266-271, set./out. 2009.

MOREIRA, Leila Beltrami. et al. Prevalência de tabagismo e fatores associados em área metropolitana da região Sul do Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 29, n. 1, p. 46-51, 1995.

NUNES, Emília. Consumo de tabaco. Efeitos na Saúde. Revista Portuguesa de Clínica Geral, v. 22, p. 225-244, 2006. Disponível em: <http://www.apmcg.pt/files/54/documentos/20070529105116859489.pdf>. Acesso em: 28 maio 2011.

PRECIOSO, José. Boas práticas em prevenção do tabagismo no meio escolar. Revista Portuguesa de Clínica Geral, v. 22, p. 201-222, 2006. Disponível em: <http://actbr.org.br/uploads/conteudo/304_Boas_Praticas_em_prevencao_do_tabagismo_no_meio_escolar.pdf>. Acesso em: 28 maio 2011.

PRECIOSO, José. Quando e porquê começam os estudantes universitários a fumar: Implicações para a prevenção. Análise Psicológica, v. 3, n. 22, p. 499-506, 2004. Disponível em: <http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/aps/v22n3/v22n3a07.pdf>. Acesso em 28 maio 2011.

ROSEMBERG, José. Nicotina droga universal< 2005, 240p. Disponível em: http://www.inca.gov.br/tabagismo/publicacoes/nicotina.pdf>. Acesso em: 6 nov. 2011.

SAWICKI, Wanda Cristina; ROLIM , Marli Alves. Graduandos de enfermagem e sua relação com o tabagismo. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 38, n. 2, p. 181-189, 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v38n2/09.pdf>. Acesso em: 28 maio 2011.

SEBBA, Paulo Milad. Tabagismo entre estudantes de graduação do curso de fisioterapia da Universidade Católica de Goiás. Goiás, 2004, 16p. Projeto de Pesquisa (Curso de Fisioterapia) - Universidade Católica de Goiás, 2004. Disponível em: <http://www.ucg.br/ucg/institutos/nepss/monografia/monografia_14.pdf>. Acesso em: 27 maio 2011.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE CAMPOS DOS GOYTACAZES. Disponível em: <http://www.sms.campos.rj.gov.br/>. Acesso em: 27 maio 2011.

SILVA, Antonio Oliveira et al. Tabaco e saúde no olhar de estudantes universitários. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 61, n. 4, p. 423-427, jul/ago, 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reben/v61n4/04.pdf>. Acesso em: 28 maio 2011.

SILVA, Luiz Carlos Corrêa. Tratamento do tabagismo. Revista AMRIGS, v. 54, n. 2, p. 232-239, abr/jun, 2010.

STRAMARI, Leandro Mazzoleni et al. Prevalência e fatores associados ao tabagismo em estudantes de medicina de uma universidade em Passo Fundo (RS). Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 35, n. 5, p. 442-448, 2009.

ZETTLER, Eduardo Walker et al. Prevalência do tabagismo entre estudantes de medicina e fatores de risco associados. Revista AMRIGS, v. 49, n. 1, p. 16-19, jan/mar, 2005.

Downloads

Como Citar

BARROS, Érika R. de; LIMA, R. M. Prevalência e Características do Tabagismo entre Universitários de Instituições Públicas e Privadas da Cidade de Campos dos Goytacazes, RJ. Revista Vértices, [S. l.], v. 13, n. 3, p. 93–116, 2011. DOI: 10.5935/1809-2667.20110027. Disponível em: https://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/1809-2667.20110027. Acesso em: 4 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos Originais