A influência do pacto liberal-dependente e da reestruturação produtiva na definição das políticas públicas da educação profissional na década de 1990

Autores

  • Gabriel Duarte Carvalho Instituto Federal Fluminense
  • José Luis Vianna da Cruz Universidade Federal Fluminense (UFF)

DOI:

https://doi.org/10.5935/1809-2667.20140008

Palavras-chave:

Políticas públicas, Educação, Educação profissional

Resumo

O presente trabalho tem o objetivo de abordar a formação da agenda política que deu origem à reforma da educação implementada através do decreto 2208 de 1997. Para tanto utiliza a divisão trazida pelo artigo “Os três ciclos da sociedade brasileira” de Bresser-Pereira, como base para justificar a forma que o processo de criação e implementação de políticas públicas na área da educação profissional assumiu no país. O pacto liberal- dependente que vigorou durante a década de 1980 e 1990 no Brasil e a reestruturação produtiva capitalista que trouxe o conceito de flexibilidade para as relações de trabalho e para os processos produtivos servem de suporte para entender o interesse e a influência de organismos internacionais na definição das políticas públicas no Brasil, nessa área. Os motivos, a natureza e os efeitos dessa política são tratados no artigo, bem como os novos rumos que a educação profissional tomou com a mudança de governo em 2003.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Duarte Carvalho, Instituto Federal Fluminense

Mestrando em Planejamento Regional e Gestão de Cidades (Universidade Cândido Mendes – Campos) e Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Campos. Bolsista do Programa Observatório da Educação do Brasil – OBEDUC/CAPES (Polo Campos). Professor concursado do Instituto Federal Fluminense – Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: gduartecarvalho@gmail.com.

José Luis Vianna da Cruz, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Doutor em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPPUR, 2003). Professor Associado da Universidade Federal Fluminense e professor-colaborador, Mestrado em Planejamento Regional e Gestão de Cidades, da Universidade Candido Mendes/Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: joseluisvianna@uol.com.br.

Referências

ABRUCIO, Fernando Luiz. A dinâmica federativa da educação brasileira: diagnóstico e propostas de aperfeiçoamento. In: Educação e Federalismo no Brasil: combater as desigualdades, garantir a diversidade, Brasília, 2012. p 39-70.

AMARO, Rubens de Araújo. Da qualificação a competência: Deslocamento conceitual e individualização do trabalhador. RAM- revista de administração Mackenzie, São Paulo, v.9, n.7, p 89-111, nov./dez. 2008

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Os três ciclos da sociedade e do estado. Perspectiva, São Paulo, V.41, p13-51, jan./jun. 2012

GORZ, André. Miséria do presente, riqueza do possível. São Paulo: Annablume, 2004.

OLIVEIRA, Ramon de. O banco mundial e a educação profissional. Boletim Técnico do SENAC, Rio de Janeiro, v. 27, n. 2, ago. 2001.

SANTOS, W. G. Cidadania e Justiça. Rio de Janeiro: Campus, 1979.

Downloads

Publicado

30-06-2014

Como Citar

CARVALHO, G. D.; CRUZ, J. L. V. da. A influência do pacto liberal-dependente e da reestruturação produtiva na definição das políticas públicas da educação profissional na década de 1990. Revista Vértices, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 117–126, 2014. DOI: 10.5935/1809-2667.20140008. Disponível em: https://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/1809-2667.20140008. Acesso em: 2 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos Originais