Fenotipagem de sorgo sacarino para tolerância ao estresse hídrico por meio de características morfológicas

  • Luciano Rezende Moreira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) campus Bom Jesus do Itabapoana/RJ
  • Rafael Silva Ramos dos Anjos Universidade Federal de Viçosa, Viçosa/MG
  • Jardélcio Damião Carvalho Ervilha Universidade Federal de Viçosa, Viçosa/MG
  • Juliana Gonçalves Vidigal Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) campus Bom Jesus do Itabapoana/RJ
  • Paulo Henrique Coutinho Universidade Federal de Viçosa, Viçosa/MG
  • Glauco Vieira Miranda Universidade Federal de Viçosa, Viçosa/MG
Palavras-chave: Sorgo sacarino, Análise de raízes, Déficit hídrico

Resumo

Objetivou-se, com este trabalho, identificar as cultivares de sorgo sacarino que apresentam maior tolerância à seca e discriminar fenotipicamente as características morfológicas radiculares desses genótipos para ambientes com déficit hídrico. As cultivares (Rio, Ramada, BRS 501 e BRS 506) foram submetidas a dois tratamentos (Ambientes). O primeiro foi composto por um ambiente denominado água irrestrita (AI) -37,5 kPa e o segundo ambiente com restrição hídrica denominado água restrita (AR), com uma pressão matricial dez vezes menor que a do tratamento AI, ou seja, -375 kPa. A diferença entre o peso ideal do tratamento e o peso observado no vaso, antes de ser irrigado ,comparado a um vaso idêntico aos respectivos tratamentos sem a planta, forneceu aevapotranspiração da cultivar nesse período. As raízes foram analisadas pelo sistema WinRhizo, de modo a se obter as seguintescaracterísticas estudadas: comprimento, volume, área superficial, área projetada e diâmetro de raiz. A análise de variância para todas as características avaliadas mostrou não haver interação (P > 0,05) entre genótipo e ambiente. Isoladamente, também não foi observada variação (P > 0,05) nos genótipos e nos ambientes avaliados para as características em questão, com exceção do diâmetro de raiz. Neste sentido, observou-se que o diâmetro das raízes foi maior (P < 0,05) quando as plantas foram submetidas a condições de maior estresse de seca (AR). Conclui-se que as cultivares não apresentaram características significativamente distintas nos ambientes contrastantes o que pode ser em razão de serem muito tolerantes ao estresse imposto, pelo estádio fenológico avaliado ter sido muito inicial ou pelo estresse ter tido pouca intensidade para gerar atividades distintas nas cultivares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano Rezende Moreira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) campus Bom Jesus do Itabapoana/RJ
Doutor em Fitotecnia (UFV). Professor do Instituto Federal Fluminense - Campus Bom Jesus do Itabapoana. Brasil. E-mail: lmoreira@iff.edu.br.
Rafael Silva Ramos dos Anjos, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa/MG
Graduando em agronomia (UFV). Brasil. E-mail: rsr.anjos@gmail.com.
Jardélcio Damião Carvalho Ervilha, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa/MG
Engenheiro Agrônomo. Brasil. E-mail: jardelcioervilha@gmail.com.
Juliana Gonçalves Vidigal, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) campus Bom Jesus do Itabapoana/RJ
Doutora em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Professora do Instituto Federal Fluminense - Campus Bom Jesus do Itabapoana. Brasil. E-mail: jvidigal@iff.edu.br.
Paulo Henrique Coutinho, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa/MG
Mestre em Fitotecnia (UFV). Brasil. E-mail: coutinhoph@gmail.com.
Glauco Vieira Miranda, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa/MG
Doutor em Genética e Melhoramento pela Universidade Federal de Viçosa. Professor da Universidade Federal de Viçosa. Brasil. E-mail: glaucovmiranda@gmail.com.

Referências

AMATO, M.; PARDO, A. Root length and biomass losses during sample preparation with different screen mesh sizes. Plant and Soil, v. 161, p. 299–303, 1994.

BALOTA, M.; WILLIAM, A.; PAYNE, W. R.; ROSENOW, D. Gas exchange and transpiration ratio in sorghum. Crop Science, v. 48, p. 2361-2371, 2008.

BAUHUS, J.; MESSIER, C. Evaluation of fine root length and diameter measurements obtained using WinRhizo Image Analysis. Agronomy Journal, Madison, v. 91, n. 1, p. 142-147, Jan./Feb. 1999.

BLUM, A. Sorghum physiology. In: NGUYEN H. T.; A. BLUM, A. (Ed.) Physiology and biotechnology integration for plant breeding. New York: Marcel Dekker, 2004. p. 141–223.

BOUMA, T. J.; NIELSON, K. L.; KOUTSTAAL, B. A. S. Sample preparation and scanning protocol for computerised analysis of root length and diameter. Plant and Soil, Dordrecht, v. 218, p. 185-196, 2000.

CANTÃO, F. R. O. Marcadores morfológicos de raiz em genótipos de milho contrastantes para tolerância à seca em resposta a estresses de fósforo e alumínio. 2007. 98 p. Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG, 2007.

COELHO, A. M. et al. Seja doutor de seu sorgo. Potafós: Informações Agronômicas, n. 100, p. 24, 2002.

COMISSÃO DE FERTILIDADE DO SOLO DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Recomendação para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais: 5.ª Aproximação. Viçosa: [S.n.], 1999. 359 p.

COSTA, C. et al. Root morphology of contrasting maize genotypes. Agronomy Journal, Madison, v. 94, n. 1, p. 96-101, Jan./Feb. 2002.

DONATELLI, M.; HAMMER, G. L.; VANDERLIP, R. L. Genotype and water limitation effects on phenology, growth and transpiration efficiency in grain sorghum. Crop Science, Madison, v. 32, n. 3, p. 781-786, 1992.

EPSON Flatbed Scanner EPSON Perfection V700/V750 1.8 V3.24. [S.l.]: EPSON, [20--].

FITTER, A. H. The ecological significance of root system architecture: an economic approach. In: Plant Root Growth: an Ecological Perspective. London: Blackwell Scientific Publishers, 1991. p. 229–243.

HOPIKINS, W. G. Introduction to plant physiology. New York: John Wiley, 1995. 464 p.

KIDAMBI, S. P.; KRIEG, D. R.; ROSENOW, D. T. Genetic variation for gas exchange rates in grain sorghum. Plant Physiology, v. 92, n. 4, p. 1211-1214, 1990.

MAGALHÃES, P. C. et al. Caracterização precoce de raízes através de WinRhizo em ciclos de seleção de milho Saracura BRS-4154. In: CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO. AGROENERGIA, PRODUÇÃO DE ALIMENTOS E MUDANÇAS CLIMÁTICAS: DESAFIOS PARA MILHO E SORGO, 2008, Londrina. Trabalhos e palestras. Londrina: Embrapa Milho e Sorgo, 2008.

MAGALHÃES, P. C. et al. Avaliação das modificações morfológicas radiculares durante os ciclos de seleção do milho Saracura tolerante a hipoxia. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, Sete Lagoas, Embrapa, n. 15, 2009. 23 p.

MASOJIDEK, J. et al. The synergetic effect of drought and light stress in sorghum and pearl millet. Plant Physiology, Bethesda, v. 96, p. 198-207, 1991.

NASCIMENTO, R. Crescimento de plantas de sorgo sob diferentes disponibilidades de água no solo. Revista Educação Agrícola Superior, v. 23, n. 1, p.53-54, 2008.

PENG, S.; KRIEG, D. R. Gas exchange traits and their relationship to water use efficiency of grain sorghum. Crop Science, v. 32, n. 2, p. 386-391, 1992.

RYSER, P.; LAMBERS, H. Root and leaf attributes accounting for the performance of fast- and slow-growing grasses at different nutrient supply. Plant and Soil, v. 170, n. 2, p. 251-265, 1995.

SAS INSTITUTE (2003) SAS/STAT software versão 9.1. Cary, NC: SAS, 2003.

TEO, Y. H.; BEYROUTY, C. A.; NORMAN, R. J.; GBUR, E. E. Nutrition uptake relationship to root characteristics of rice. Plant and Soil, Dordrecht, v. 171, p. 297-302, 1995.

TUINSTRA, M. R. et al. Genetic analysis of post flowering drought tolerance and components of grain development in Sorghum bicolor (L.) Moench. Molecular Breeding, v. 3, p. 439-448, 1997.

Publicado
10-02-2015
Como Citar
MOREIRA, L. R.; DOS ANJOS, R. S. R.; ERVILHA, J. D. C.; VIDIGAL, J. G.; COUTINHO, P. H.; MIRANDA, G. V. Fenotipagem de sorgo sacarino para tolerância ao estresse hídrico por meio de características morfológicas. Revista Vértices, v. 16, n. 3, p. 87-95, 10 fev. 2015.
Seção
Artigos Originais

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##