Problematizando o cuidado em saúde mental: a profissionalização do care a partir dos serviços residenciais terapêuticos

Autores

  • Rachel Gouveia Passos Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)

DOI:

https://doi.org/10.19180/1809-2667.v17n315-10

Palavras-chave:

Care, Cuidadores, Mulheres, Reforma Psiquiátrica, Saúde Mental

Resumo

O presente artigo pretende apresentar o modo de operar o care nas práticas das residências terapêuticas. Busca retratar a influência da experiência da reforma psiquiátrica democrática italiana na realidade brasileira, destacando as dimensões interventivas e os serviços substitutivos construídos. Aponta as diretrizes e estratégias constituídas para a promoção do cuidado da pessoa em sofrimento psíquico no processo de desinstitucionalização, além de abordar e trazer para o debate a profissionalização e a atuação das cuidadoras nos serviços residenciais terapêuticos. Nesse sentido, retrata, por meio de revisão bibliográfica, alguns questionamentos para se pensar os caminhos traçados na construção e constituição do fazer profissional dos cuidadores em saúde mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rachel Gouveia Passos, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)

Doutoranda em Serviço Social pela PUC/SP. Mestre em Política Social pela UFF. Especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela ENSP/FIOCRUZ. Assistente Social – Brasil. E-mail: rachel.gouveia@gmail.com.

Downloads

Publicado

08-04-2016

Como Citar

PASSOS, R. G. Problematizando o cuidado em saúde mental: a profissionalização do care a partir dos serviços residenciais terapêuticos. Revista Vértices, [S. l.], v. 17, n. 3, p. 175–194, 2016. DOI: 10.19180/1809-2667.v17n315-10. Disponível em: https://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/1809-2667.v17n315-10. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais