O grotesco e a poesia de Vinicius de Moraes

  • Daniel Gil Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro/RJ
Palavras-chave: Grotesco, Poesia, Vinicius de Moraes

Resumo

Embora Vinicius de Moraes seja conclamado por sua poesia amorosa, sua obra possui, no entanto, outro lado, uma face bizarra e prolífica ainda pouco explorada pelos estudiosos. A tendência que muito de seus versos dispõe para o espectro do anômalo, do feio, do asqueroso, do putrefato é evidente e o torna, com a devida atenção, o maior herdeiro no século XX da poesia grotesca levada a efeito por Cruz e Sousa e Augusto dos Anjos. Essa tendência esbarra igualmente, outras vezes, no riso espontâneo do nonsense, da glutonaria, do escatológico e da incorreção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Gil, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro/RJ
Doutorando em Literatura Brasileira pela UFRJ. Secretário Executivo da Superintendência Geral de Políticas Estudantis/Gabinete do Reitor (SuperEst/UFRJ) – Rio de Janeiro – Brasil. E-mail: danielgil@danielgil.com.br.

Referências

ANJOS, A. dos. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

BAKHTIN, M. A cultura popular na idade média e no renascimento: o contexto de François Rabelais. Trad. Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec, 2013.

BARTHES. R. Mitologias. Trad. de Rita Buongermino, Pedro de Souza e Rejane Janowitzer. Rio de Janeiro: DIFEL, 2009.

BATAILLE, G. O erotismo. Trad. Antonio Carlos Viana. Porto Alegre: L&PM, 1987.

BAUDELAIRE, C. As flores do mal. Trad. Ivan Junqueira. Edição bilíngue. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

______. Escritos sobre arte. Trad. Plínio Augusto Coelho. São Paulo: Imaginário, 1998.

______. Sobre a modernidade: o pintor da vida moderna. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

CANDIDO, A. A poesia pantagruélica. In: ______. O discurso e a cidade. São Paulo: Duas Cidades, 1993.

______. Um poema de Vinicius de Moraes. In: MORAES, Vinicius de. Poemas, sonetos e baladas/ Pátria minha. São Paulo: Companhia das Letras, 2008. p. 159-162.

CAROLLO, C. L. Decadentismo e simbolismo no Brasil: crítica e poética. Brasília: Livros Técnicos e Científicos; INL; MEC, 1980. p. 142-143.

CROWLEY, A. O livro de Thoth. São Paulo: Anubis; Madas, 2000.

CRUZ E SOUSA. Obra completa. Rio de Janeiro: Aguilar, 1961.

ECO, U. (Org.). História da beleza. Trad. Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: Record, 2013.

______. (Org.). História da feiura. Trad. Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: Record, 2014.

FERRAZ, E. Um poeta entre a luz e a sombra. Revista Língua Portuguesa, São Paulo, 27 jan. 2008.

GUIMARÃES, B. Elixir do pajé: poemas de humor, sátira e escatologia. São Paulo: Hedra, 2011.

GULLAR, F. Augusto dos Anjos ou a vida e morte nordestina. In: ANJOS, A. dos. Toda a poesia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

HUGO, V. Do grotesco e do sublime: tradução do prefácio de Cromwell. Trad. e notas de Célia Barrentini. São Paulo: Perspectiva, 2010.

KAFKA, F. Na colônia penal. In: ______. Essencial Franz Kafka. Sel., intr., e trad. de Modesto Carone. São Paulo: Penguin Classics; Companhia das Letras, 2011.

KAYSER, W. O grotesco: configuração na pintura e na literatura. Trad. J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2009.

MARINETTI, F. T. Teoria e invenzione futurista. Milão: Mondadori, 1968.

MATTOS, G. Obra poética. Ed. de James Amado, prep. e notas de Emanuel de Araújo. Rio de Janeiro: Record, 1992.

MORAES, Vinicius de. Forma e exegese. Rio de Janeiro: Pongetti, 1935.

______. Ariana, a mulher. Rio de Janeiro: Pongetti, 1936.

______. Novos poemas. Rio de Janeiro: José Olympio, 1938.

______. Poemas, sonetos e baladas: com 22 desenhos de Carlos Leão. São Paulo: Gaveta, 1946.

______. Antologia poética. Rio de Janeiro: A Noite, 1954.

______. Para viver um grande amor. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1962.

______. Roteiro lírico e sentimental da cidade do Rio de Janeiro, e outros lugares por onde passou e se encantou o poeta. Apresentação e textos adic. por José Castello. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

______. Poemas esparsos. Sel. e org. de Eucanaã Ferraz. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

______. Esparsos. Livro de sonetos. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

RABELAIS, F. Gargântua. Trad. Aristides Lobo. São Paulo: Atena, 1957.

ROSENFELD, A. A visão grotesca. In: ______. Texto/contexto. São Paulo: Perspectiva, 1985.

SECCHIN, A. C. Os caminhos de uma estreia. In: MORAES, Vinicius de. O caminho para a distância. São Paulo: Companhia das Letras, 2008. p. 75-80.

SILVA SANTOS, F. R. da. Lira dissonante: considerações sobre aspectos do grotesco na poesia de Bernardo Guimarães e Cruz e Sousa. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.

SCHLEGEL, F. Conversa sobre poesia e outros fragmentos. Trad., prefácio e notas de Victor-Pierre Stirnimann. São Paulo: Iluminuras, 1994.

Publicado
03-07-2017
Como Citar
GIL, D. O grotesco e a poesia de Vinicius de Moraes. Revista Vértices, v. 19, n. 1, p. 89-109, 3 jul. 2017.
Seção
Artigos Originais

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##