Lodo de esgoto: diretrizes e o seu uso como fertilizante, condicionador de solo e substrato florestal

  • David Pessanha Siqueira Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), Campos dos Goytacazes/RJ
  • Deborah Guerra Barroso Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), Campos dos Goytacazes/RJ
  • Claudio Roberto Marciano Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), Campos dos Goytacazes/RJ
Palavras-chave: Resíduos orgânicos, Sustentabilidade, Legislação ambiental

Resumo

O lodo de esgoto é um resíduo gerado após o tratamento dos esgotos e consiste em um problema ambiental crescente, devido ao aumento das redes de coleta e tratamento desses efluentes. A disposição desse resíduo na agricultura vem se apresentando como a mais adequada, com efeitos positivos apontados por várias pesquisas. No entanto, existem critérios e procedimentos que devem ser contemplados para o gerenciamento legal do lodo. Serão apresentadas as principais diretrizes para utilização do lodo na agricultura, sua influência na fertilidade do solo, como condicionador de solo, e seu desempenho como substrato florestal, destacando os pontos positivos e negativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

David Pessanha Siqueira, Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), Campos dos Goytacazes/RJ
Engenheiro agrônomo, Mestrando do programa de Produção Vegetal da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) - Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: pessanhasdavid@hotmail.com.
Deborah Guerra Barroso, Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), Campos dos Goytacazes/RJ
Doutora em Produção Vegetal (UENF). Engenheira agrônoma e Professora do laboratório de Fitotecnia da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) - Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: deborah@uenf.br.
Claudio Roberto Marciano, Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), Campos dos Goytacazes/RJ
Doutor em solos e nutrição de plantas (ESALQ/USP). Engenheiro agrônomo e Professor do Laboratório de Solos da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) - Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: marciano@uenf.br.

Referências

ÁGUAS DO PARAÍBA. Grupo águas do Brasil: A concessionária. Disponível em: < http://www.grupoaguasdobrasil.com.br/aguas-paraiba/a-concessionaria/>. Acesso em: 22 jun. 2016.

ALAMINO, R.C.J. A utilização de lodo de esgoto como alternativa sustentável na recuperação de solos degradados: Viabilidade, avaliação e biodisponibilidade de metais. 2010. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

ALBUQUERQUE, H.C.; JUNIO, G.R.Z.; SAMPAIO, R.A.; FERNANDES, L.A.; ZONTA, E, BARBOSA, C.F. Yield nutrition of sunflower fertilized with sewage sludge. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.19, n. 6, p. 553-559, 2015.

ALVES FILHO, Amilton. Desinfecção de lodo de esgoto anaeróbio para fins agrícolas. 2014. 79 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.

ANDREOLI, C.V.; DE LARA, A.I.; FERREIRA , A.C.; BONNET, B.R.P.; PEGORINI, E.S. A gestão dos biossólidos gerados em estações de tratamento de esgoto doméstico. Engenharia e Construção, Curitiba, n. 24, 1998.

BARBOSA, G.M.C.; TAVARES FILHOS, J. Uso agrícola do lodo de esgoto: influência nas propriedades químicas e físicas do solo, produtividade e recuperação de áreas degradadas. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 27, n. 4, p. 565-580, 2006.

BARREIROS, R.M.; GONÇALVES, J.L.M.; SANSÍGOLO, C.A.; POGGIANI, F. Modificações na produtividade e nas características físicas e químicas da madeira de Eucalyptus grandis causadas pela adubação com lodo de esgoto tratado. Revista Árvore, Viçosa, v. 31, n. 1, p. 103-111, 2007.

BARROS, I.T.; ANDREOLI, C.V.; SOUZA JUNIOR, I.G.; COSTA, A.C.S. Avaliação agronômica de biossólidos tratados por diferentes métodos químicos para aplicação na cultura do milho. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 15, n. 6, p. 630-638, 2011.

BITTENCOURT, S.; SERRAT, B.M.; AISSE, M.M.; GOMES, D. Sewage sludge usage in agriculture: a case study of its destination in the Curitiba Metropolitan Region, Paraná, Brasil. Water Air Soil Pollut, v. 225, p. 2014-2082, 2014.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia legal. A caminho da Agenda 21 brasileira: Princípios e ações. Brasília.

BRASIL. Lei n. 12.305/2010. Dispõe sobre os princípios, objetivos e instrumentos, bem como sobre as diretrizes relativas à gestão integrada e ao gerenciamento de resíduos sólidos, incluindo os perigosos, às responsabilidades dos geradores e do poder público e aos instrumentos econômicos aplicáveis. 2012. 72p.

BRASIL. Instrução normativa 15/2004. Definições e normas sobre as especificações e as garantias, as tolerâncias, o registro, a embalagem e a rotulagem dos fertilizantes orgânicos simples, mistos, compostos, organominerais e biofertilizantes destinados à agricultura. 2004.

BRASIL. Resolução n. 375/2006. Critérios e procedimentos para o uso agrícola de lodos de esgoto gerados em estações de tratamento de esgoto sanitário e seus produtos derivados, e dá outras providências. 2006.

BRASIL. Resolução n. 420/2009. Dispõe sobre critérios e valores orientadores de qualidade do solo quanto à presença de substâncias químicas e estabelece diretrizes para o gerenciamento ambiental de áreas contaminadas por essas substâncias em decorrência de atividades antrópicas. 2009.

BONINI, C.S.B. Restauração ecológica de um solo decapitado sob intervenção antrópica há 17 anos. 2012. 191 f. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, 2012.

BONINI, C.S.B.; ALVES, M.C.; MONTARINI, R. Lodo de esgoto e adubação mineral na recuperação de atributos químicos de solo degradado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 19, n. 4, p. 388-393, 2015.

CALDEIRA, M.V.W.; DELARMINA, W.M.; PERONI, L.; GONÇALVES, E.O.; DA SILVA, A.G. Lodo de esgoto e vermiculita na produção de mudas de eucalipto. Pesquisa agropecuária tropical, Goiânia, v. 43, n. 2, p. 155-163, 2013.

CAMPOS, F.S.; ALVES, M.C. Uso de lodo de esgoto na reestruturação de solo degradado. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 32, p. 1389-1397, 2008.

CIESLIK, B.M.; NAMIESNIK, J.; KONIECZKA, P. Review of sewage sludge managements: standards, regulations and analytical methods. Journal of cleaner production, v. 90, p. 1-15, 2015.

CUNHA, A.M.; CUNHA, G.M.; SARMENTO, R.A.; CUNHA, G.M.; DO AMARAL, J.F.T. Efeito de diferentes substratos sobre o desenvolvimento de mudas de Acacia sp. Revista Árvore, Viçosa/MG, v. 30, n. 2, p. 207-214, 2006.

DE MARIA, E.C.; KOCSSI, M.A.; DECHEN, S.C. Agregação do solo em área que recebeu lodo de esgoto. Bragantia, Campinas, v. 66, n. 2, p. 291-298, 2007.

FARIA, R.L. O uso do lodo de esgoto na agricultura: impactos ambientais e restrições técnicas. Complexus: Engenharia, Arquitetura e Design, n. 2, p. 102-122, 2011.

FERRAZ, A.V. Efeito residual do lodo de esgoto na produtividade e na ciclagem de nutrientes em plantios de Eucalyptus grandis e no cultivo de plantas alimentícias (simulando alteração do uso agrícola do solo). 2013. Tese (Doutorado em Recursos Florestais) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2013.

GARCIA, G.O.; VENTURIN, A.Z.; RIBEIRO, H.R.; GONÇALVES, M.S.; SPADETTO, M.F. Crescimento e nutrição de milho decorrentes da aplicação de lodo de esgoto doméstico. Nucleus, v. 9, n. 1, p. 93-100, 2012.

GOMES, D.R.; CALDEIRA, M.V.W.; DELARMINA, W.M.; GONÇALVES, E.O.; TRAZZI, P.A. Lodo de esgoto como substrato para produção de mudas de Tectona grandis L. Revista Cerne, Lavras, v. 19, n. 1, p. 123-131, 2013.

GUEDES, M.C.; POGGIANI, F. Variação dos teores de nutrientes foliares em eucalipto fertilizado com Biossólido. Scientia forestalis, n. 63, p.188-201, 2003.

LABRECQUE, M.; TEODORESCU, T.I.; DAIGLE, S. Effect of wastewater sludge on growth and heavy metal bioaccumulation of two Salix species. Plant and soil, v. 171, n. 2, p. 303-316, 1995.

LELES, P.S.S.; LISBOA, A.C.; NETO, S.N.O.; GRUGIKI, M.A.; FERREIRA, M.A. Qualidade de mudas de quatro espécies florestais produzidas em diferentes tubetes. Floresta e ambiente, v. 13, n. 1, p. 69-78, 2006.

LIMA, R.L.S.; SEVERINO, L.S.; FERREIRA, G.B.; SOFIATTI, V.; SAMPAIO, L.R.; BELTRÃO, N.E.M. Casca de mamona associada a quatro fontes de matéria orgânica para produção de mudas de pinhão-manso. Revista Ceres, Viçosa/MG, v. 58, n. 2, p. 232-237, 2011.

LOBO, T.F.; GRASSI FILHO, H.; BULL, L.T. Efeito do nitrogênio e do lodo de esgoto nos fatores produtivos do feijoeiro. Revista Ceres, Viçosa/MG, v. 59, n. 1, p. 118-124, 2012.

LOUSADA, L.L. Nutrição e crescimento de sorgo sacarino e alterações nos atributos do solo pela aplicação de lodo de esgoto doméstico. Tese (Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade Estadual do Norte Fluminense, Campos/RJ, 2015.

MAIA, C.M.B.F. Uso de casca de Pinus e lodo biológico como substrato para produção de mudas de Pinus taeda. Boletim de pesquisa florestal, Colombo, n. 39, p. 81-92, 1999.

MAIO, M.M.; SAMPAIO, R.A.; NASCIMENTO, A.L.; PRATES, F.B.S.; RODRIGUES, M.N.; DA SILVA, H.P.; DIAS, A.N.; FREITAS, C.E.S. Atributos físicos do solo, adubado com lodo de esgoto e silicato de cálcio e magnésio. Revista Ceres, Viçosa/MG, v. 58, n. 6, p. 823-830, 2011.

NOBILE, F.O.; NUNES, H.D.; NEVES, J.C. Doses de lodo de esgoto sobre o desenvolvimento da grama bermuda (Cynodon dactylon). Nucleus, v. 11, n. 2, p. 271-282, 2014.

NOBREGA, R.S.A.; VILAS BOAS, R.C.; NOBREGA, J.C.A.; DE PAULA, A.M.; MOREIRA, F.M.S. Utilização de Biossólido no crescimento inicial de mudas de aroeira (Schinus terenbythifolius Raddi). Revista Árvore, Viçosa/MG, v. 31, n. 2, p. 239-246, 2007.

NOGUEIRA, T.A.R.; MELOB, W.J.; OLIVEIERA, L.R.; FONSECA, I.M.; DE MELO, G.M.P.; MARCUSSI, S.A.; MARQUES, M.A. Nickel in soil and maize plants grown on an oxisol treated over a long time with sewage sludge. Chemical Special e Bioavailability, v. 21, n. 3, p. 165-173, 2009.

PAIVA, A.R.; POGGIANI, F.; GONÇALVES, J.L.M.; FERRAZ, A.V. Crescimento de mudas de espécies arbóreas nativas, adubadas com diferentes doses de lodo de esgoto seco e com fertilização mineral. Scientia forestalis, Piracicaba, v. 37, n. 84, p. 499-511, 2009.

PARANÁ. Companhia de saneamento do Paraná (SANEPAR). Uso e manejo do lodo de esgoto na agricultura. Programa de pesquisa em saneamento básico. Curitiba, PR, 1999.

PEGORINI, E.S.; ANDREOLI, C.V.; SOUZA, M.L.P.; FERREIRA, A. Qualidade do lodo de esgoto utilizado na reciclagem agrícola na região metropolitana de Curitiba-PR. In: SIMPÓSIO LATINO AMERICANO DE BIOSSÓLIDOS, 1., 2003, São Paulo, SP.

PIRES, A.M.M. Uso agrícola do lodo de esgoto: aspectos legais. Embrapa meio ambiente, Jaguariúna, SP, 2006.

QUINTANA, N.R.G.; CARMO, M.S.; MELO, W, J. Lodo de esgoto como fertilizante: produtividade agrícola e rentabilidade econômica. Revista Nucleus, v. 8, n. 1, p. 183-192, 2011.

RIGO, M.M.; RAMOS, R.R.; CERQUEIRA, A.A.; SOUZA, P.S.A.; MARQUES, M.R.C. Destinação e reuso na agricultura do lodo de esgoto derivado do tratamento de águas residuárias domésticas no Brasil. Gaia Scientia, v. 8, n. 1, p. 174-186, 2014.

ROCHA, J.H.T.; BACKES.C.; DIOGO, F.A.; PASCOTTO, C.B.; BORELLI, K. Composto de lodo de esgoto como substrato para mudas de eucalipto. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, v. 33, n. 73, p. 27-36, 2013.

SAMPAIO, T.F.; GUERRINI, I.A.; BACKES, C.; HELIODORO, J.C.A.; RONCHI, H.S.; TANGANELLI, K.M.; DE CARVALHO, N.C.; OLIVEIRA, F.C. Lodo de esgoto na recuperação de áreas degradadas: efeito nas características físicas do solo. Revista brasileira de ciências do solo, Viçosa/MG, v. 36, n. 5, p. 1637-1645, 2012.

SANTOS, F.E.V.; KUNZ, S.H.; CALDEIRA, M.V.W.; AZEVEDO, C.H.S.; RANGEL, O.J.P. Características químicas de substratos formulados com lodo de esgoto para produção de mudas florestais. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 18, n. 9, p. 971-979, 2014.

SÃO PAULO. Companhia ambiental do estado de São Paulo (CETESB). Aplicação de lodos de sistemas de tratamento biológico em áreas agrícolas: critérios para projeto e operação (manual técnico). 1999. p. 4230.

SCHEER, M.B.; CARNEIRO, C.; DOS SANTOS, K.G. Substratos à base de lodo de esgoto compostado na produção de mudas de Paraptadenia rígida (Benth.) Brenan. Scientia forestalis, Piracicaba, v. 38, n. 88, p. 637-644, 2010.

SCHEER, M.B.; CARNEIRO, C.; BRESSAN, O.A.; DOS SANTOS, K.G. Compostos de lodo de esgoto para produção de mudas de Anadenanthera colubria (Vell.) Brenan. Revista Cerne, Lavras, v. 18, n. 4, p. 613-621, 2012.

SILVA, F.A.M; SOUZA, E.I.; ZANON, J.A.; NUNES, G.M.; SILVA, R.B.; FERRARI, S. Produção de mudas de juçara com resíduos agroindustriais e lodo de esgoto compostados. Brazilian Jornal of Biosystems Engineering, v. 9, p. 109-121, 2015.

SIQUEIRA, D.P.; BARROSO, D.G.; ERTHAL, R.M. Lodo de esgoto na composição de substrato para produção de mudas de Mirindiba-rosa. In: CONGRESSO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE DE POÇOS DE CALDAS, 13., 2016, Poços de Caldas, MG. Anais… Poços de Caldas, 2016.

TRATABRASIL. Ranking do saneamento, instituto Trata Brasil. Disponível em: < http://www.tratabrasil.org.br/datafiles/estudos/ranking/2016/relatorio-completo.pdf>. Acesso em: 01 ago. 2016.

TRAZZI, P.A.; CALDEIRA, M.V.W.; DOS REIS, E.F.; DA SILVA, A.G. Produção de mudas de Tectona grandis em substratos formulados com Biossólido. Revista Cerne, Lavras, v. 20, n. 2, p. 293-302, 2014.

TRIGUEIRO, R.M.; GUERRINI, I.A. Uso de Biossólido como substrato para produção de mudas de eucalipto. Scientia forestalis, n. 64, p. 150-162, 2003.

TRIGUEIRO, R.M.; GUERRINI, I.A. Utilização de lodo de esgoto na produção de mudas de aroeira-pimenteira. Revista árvore, Viçosa/MG, v. 38, n. 4, p. 657-665, 2014.

UNITED STATES ENVIRONEMENTAL PROTECTION AGENGY (USEPA). Test methods for evaluating solid wastes. Washington, DC, 1986.

VEGA, F.V.A.; BOVI, M.L.A.; BERTON, R.S.; GODOY JUNIOR, G.; CEMBRANELLI, M.A.R. Aplicação de Biossólido na implantação da cultura da pupunheira. Horticultura brasileira, v. 22, n. 1, p. 131-135, 2004.

VEGA, F.V.A.; BOVI, M.L.A.; GODOY JUNIOR, G.; BERTON, R.S. Lodo de esgoto e sistema radicular da pupunheira. Revista brasileira de ciências do solo, Viçosa/MG, v. 29, n. 2, p. 259-268, 2005.

Publicado
30-12-2017
Como Citar
SIQUEIRA, D. P.; BARROSO, D. G.; MARCIANO, C. R. Lodo de esgoto: diretrizes e o seu uso como fertilizante, condicionador de solo e substrato florestal. Revista Vértices, v. 19, n. 3, p. 171-186, 30 dez. 2017.
Seção
Artigos de revisão