Influência dos radicais livres e envolvimento do processo inflamatório na aterosclerose

  • Clara dos Reis Nunes
  • Annelise Maria de Oliveira Wilken de Abreu Faculdade de Medicina de Campos/RJ
Palavras-chave: Aterosclerose, Radicais livres, Processo inflamatório

Resumo

Os radicais livres são moléculas orgânicas e inorgânicas que possuem átomos com um ou mais elétrons não pareados, com existência independente. Os principais são o superóxido, a hidroxila, o hidroperóxido e o óxido nítrico. O estresse oxidativo gerado pelo excesso de radicais livres apresenta efeitos prejudiciais, que têm sido relacionados com várias doenças envolvendo o processo inflamatório, como a aterosclerose. Assim, o combate aos radicais livres é importante para evitar o surgimento de doenças, bem como o avanço do conhecimento acerca da existência de doenças geradas pelo processo oxidativo relacionadas ao processo inflamatório pode ser uma importante contribuição para o estudo imunológico e eventuais tratamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clara dos Reis Nunes
Bióloga, Pesquisadora na área de Química de Alimentos, Mestre e Doutoranda em Produção Vegetal com Ênfase em Química de Alimentos pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro – UENF, Campos dos Goytacazes/RJ, Brasil. E-mail: clara_biol@yahoo.com.br.
Annelise Maria de Oliveira Wilken de Abreu, Faculdade de Medicina de Campos/RJ
Doutora em Biociências e Biotecnologia / Imunologia pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro – UENF. Docente do Curso de Medicina da Faculdade de Medicina de Campos/RJ, Brasil. E-mail: annelisewilken@gmail.com.

Referências

ALI, S. S.; KASOJU, N.; LUTHRA, A.; SINGH, A.; SHARANABASAVA, H.; SAHU, A.; BORA, U. Indian medicinal herbs as sources of antioxidants. Food Research International, v. 41, p. 1–15, 2008.

ANDERSON D. Antioxidant defences against reactive oxygen species causing genetic and other damage. Mutation Research, v. 350, p. 103-8, 2000.

ARUOMA, O.I. Methodological considerations for characterizing potential antioxidant action of bioactive components in plant foods. Mutation Research, v. 523, p. 9-20, 2003.

BARREIROS, A. L. B. S.; DAVID, J. M.; DAVID, J. P. Estresse oxidativo: relação entre geração de espécies reativas e defesa do organismo. Química Nova, v. 29, n. 1, 113-123, 2006.

CARDOSO, L. M.; LEITE, J. P. V.; PELUZIO, M. C. G. Efeitos biológicos das antocianinas no processo aterosclerótico. Rev. Colomb. Cienc. Quím. Farm., v. 40, n. 1, p. 116-138, 2011.

CARVALHO FILHO, E. T; ALENCAR, Y. M. G; LIBERMAN, S. Fatores de risco de aterosclerose na mulher após a menopausa. Arquivos brasileiros de cardiologia, v. 66, n. 1, p. 37-45, jan. 1996.

DEGÁSPARI, C. H. Propriedades Antioxidantes e antimicrobianas dos frutos da aroeira (Schinus terebinthfolius RADDI). Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba – PR, 2004. 104 p.

ENCICLOPÉDIA LIVRE WIKIPÉDIA. Aterosclerose. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Aterosclerose>. Acesso em: 17 nov. 2012.

FERREIRA, A.L.A.; MATSUBARA, L.S. Radicais livres: conceitos, doenças relacionadas, sistema de defesa e estresse oxidativo. Revista da Associação Medica Brasileira, v. 43, n. 1, p. 61-8, 1997.

GAGLIARDI, R. J.; SANCHES, M.; RASSLAN, Z.; GUEDES, M. L. S. Comparação das frações HDL e LDL colesterol como fatores de risco para a aterosclerose carotídea. Arquivos de Neuropsiquiatria, v. 53, n. 4, p. 730-6, dez. 1995.

GERBER, Z. R. S.; ZIELINSKY, P. Fatores de risco de aterosclerose na infância: um estudo epidemiológico. Arquivos brasileiros de cardiologia, v. 69, n. 4, p. 231-236, 1997.

GONÇALVES, R. C.; FARIA, K. R. M.; SILVA, P. I.; FILHO, R. M.; MALAFAIA, G. Perfil lipídico e os fatores de risco para a doença aterosclerose em metalúrgicos de Quirinópolis-GO. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.8, n.14, p. 1615, 2012.

HALLIWELL, B. The wanderings of a free radical. Free Radical Biology & Medicine, v. 46, p. 531–542, 2009.

HAMALAINEM, M.; NIEMINEN, R.; VUORELA, P.; HEINONEN, M.; MOILANEN, E. Anti-inflammatory effects of flavonoids: Genistein, Kaempferol, Quercentin, and Daidzen inhibit STAT-1 and NF-kB activation along with their inhibitory effect on iNOS expression and NO production in activated macrophages. Mediators of inflammation, v.1, p. 1-10, 2007.

HUANG, G. C.; CHOW, J. M.; SHEN, S. C.; YANG, L. Y.; LIN, C. W.; CHEN, Y. C. Wogonin but not Nor-wogonin inhibits lipopolysaccharide and lipoteichoic acidinduced iNOS gene expression and NO production in macrophages. International Immunopharmacology, v. 7, p. 1054–1063, 2007.

JORGE, P. A. R. Endotélio, Lípides e Aterosclerose. Arquivos brasileiros de cardiologia, v. 68, n. 2, 1997.

KATSUNG, B. G. Farmacologia básica & clínica. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.

KENNEDY, D. Tratamentos Naturais, Saúde e Bem-Estar: O Seu Coração. Lisboa: Selecções do Reader’s Digest, 1997.

LUZ, L. M. Radicais Livres: química e saúde. Mundo Vestibular, 31 dezembro 2007. Disponível em: <http://www.mundovestibular.com.br/articles/1084/1/RADICAISLIVRES/Paacutegina1.html>. Acesso em: 23 dez. 2010.

MARIOD, B. A.; IBRAHIM, R. M.; ISMAIL, M.; ISMAIL, N. Antioxidant activities of phenolic rich fractions (PRFs) obtained from black mahlab (Monechma ciliatum) and white mahlab (Prunus mahaleb) seedcakes. Food Chemistry, v. 118, p.120–127, 2009.

MORIGUCHI, E. Metabolismo das Lipoproteínas. Revista da Sociedade de Cardiologia do Rio Grande do Sul, n. 2, p. 12-18, 2001.

PUSKA, P. Possibilities of a preventive approach to coronary heart disease starting in childhood. Acta Paediat Scan, v. 318(suppl), p. 229-33, 1986.

RANG, H. P.; DALLE, M. M.; RITTER, J. M. Farmacologia. Tradução de Amaury José da Cruz Júnior. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997.

REIS, C. N.; FREITAS, W. R.; VENTURA, T. L. B.; KANASHIRO, M. M.; MUZITANO, M. F.; OLIVEIRA, D. B. Inibição da Produção de Óxido Nítrico e Efeito Citotóxico de Extrato Aquoso de Annona muricata L. Perspectivas Online – Ciências Biológicas e da Saúde, v. 1, n. 2, p. 1- 8, 2011.

SCHNEIDER, C. D.; OLIVEIRA, A. R. Radicais livres de oxigênio e exercício: mecanismos de formação e adaptação ao treinamento físico. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v.10, p. 308-313, 2004.

SHAMI, N. J. I.; MOREIRA, E. A. M. Licopeno como agente antioxidante. Revista de Nutrição, v. 17, p. 227-236, 2004.

SILVA, D.; LACERDA, A. P. High-sensitivity C-reactive protein as a biomarker of risk in coronary artery disease. Rev Port Cardiol., v. 31, n. 11, p. 733-745, 2012.

Publicado
02-05-2013
Como Citar
NUNES, C. DOS R.; ABREU, A. M. DE O. W. DE. Influência dos radicais livres e envolvimento do processo inflamatório na aterosclerose. Revista Vértices, v. 14, n. 3, p. 53-70, 2 maio 2013.
Seção
Artigos de revisão

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##