Crise fiscal nos municípios fluminenses da Bacia Petrolífera de Campos entre 2014 e 2018

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19180/1809-2667.v22n32020p564-578

Palavras-chave:

Crise do preço do petróleo, Bacia de Campos, Municípios produtores fluminenses

Resumo

Este artigo propõe discutir alguns indicadores de ordem fiscal, econômica e social decorrentes da crise mundial no comércio das commodities entre 2014 e 2018, e suas consequências sobre os principais municípios da província petrolífera do estado do Rio de Janeiro ‒ Campos dos Goytacazes, Macaé, Rio das Ostras e São João da Barra ‒, quais sejam, os efeitos nas contas municipais, a queda das rendas petrolíferas, a retração do Produto Interno Bruto (PIB) e do mercado formal de trabalho. Os autores demonstram o encadeamento sistêmico entre os impactos, a partir do declínio nos valores recebidos como rendas petrolíferas, e reconhecem a necessidade de novos indicadores gerais e particulares de cada município para ampliar e aprofundar a compreensão da crise.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Luis Vianna da Cruz, Universidade Candido Mendes (UCAM), Campos dos Goytacazes/RJ

Doutor em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPPUR, 2003). Professor Associado, nível 2, na Universidade Federal Fluminense e Professor-colaborador, Mestrado em Planejamento Regional e Gestão de Cidades da Universidade Candido Mendes – Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: joseluisvianna@uol.com.br.

José Alves de Azevedo Neto, Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO), Campos dos Goytacazes/RJ

Técnico de Nível Superior em Ciências Econômicas da Universidade do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) e Professor da Universidade Salgado de Oliveira (Universo). Mestre em Planejamento Regional e Gestão de Cidades pela Universidade Candido Mendes – Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: jalvesdeazevedo@yahoo.com.br.

Publicado

29-11-2020

Como Citar

CRUZ, J. L. V. da; AZEVEDO NETO, J. A. de. Crise fiscal nos municípios fluminenses da Bacia Petrolífera de Campos entre 2014 e 2018. Revista Vértices, [S. l.], v. 22, n. 3, p. 564–578, 2020. DOI: 10.19180/1809-2667.v22n32020p564-578. Disponível em: https://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/15926. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais