As tecnologias digitais educacionais nos Institutos Federais de Educação: um pilar à formação integral

Palavras-chave: Tecnologias Digitais Educacionais, Aprendizagem Baseada em Problemas, Formação Integral, Interdisciplinaridade

Resumo

Este artigo é uma revisão de literatura cujo objetivo é provocar uma discussão teórica quanto às possibilidades de facilitar o processo de ensino e de aprendizagem, nos Cursos Técnicos Integrados ao Ensino Médio, dos Institutos Federais de Educação, a partir da implementação de algumas ferramentas digitais do Moodle favoráveis à Aprendizagem Baseada em Problemas e fomentadoras à interdisciplinaridade, a fim de atenuar as dificuldades de aprendizagem dos conteúdos defasados e facilitar as ações colaborativas à aquisição dos novos saberes propostos aos discentes. Assim, a análise realizada quanto aos pressupostos teóricos sobre a Visão das Tecnologias Digitais Educacionais, os Desafios do Ambiente Virtual de Aprendizagem, as Metodologias Ativas da Aprendizagem Baseada em Problemas, a Interdisciplinaridade e a Formação Integral, mostrou-se exitosa ao processo de desmistificação dos paradoxos em torno da perspectiva de integração curricular e na quebra da realidade paradigmática da educação utilitarista que, historicamente, tem condicionado os discentes de Cursos Técnicos ao conhecimento seriado e fragmentado por disciplinas, sem o acesso total à educação plural e globalizada de sua realidade que lhes conduzissem à autonomia e à formação integral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rozane Afonso Pereira Martins, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Campus Arraial do Cabo/RJ
Pedagoga no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Campus Arraial do Cabo. Mestranda em Educação Profissional e Tecnológica pelo Programa Federal de Pós-Graduação de Formação Profissional e Tecnológica (ProfEPT), Instituto Federal Fluminense – Brasil. E-mail: rozane.martins@ifrj.edu.br.
Severino Joaquim Correia Neto, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Macaé/RJ
Doutor em Ciências da Educação. Professor do Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT), Instituto Federal Fluminense Campus Macaé/RJ – Brasil. E-mail: profnetoseverino@gmail.com.

Referências

ALMEIDA, M. E. B. de. PROINFO: A Informática e Formação de Professores. Brasília: Ministério da Educação, 2000.

ARAUJO, A. C. de. Apresentação: o ensino médio integrado, uma aposta necessária. In: FEIJÓ, G. V.; SILVA, T. de F. (org.). Ensino e pesquisa em história e humanidades nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia: desafios e perspectivas. Brasília, DF: Editora do IFB, 2017. p. 12-15. Disponível em: http://revistaeixo.ifb.edu.br/index.php/editoraifb/article/view/483. Acesso em: 11 dez. 2018.

ARAUJO, R. M. de L. Desenvolvimento de competências profissionais: as incoerências de um discurso. 2001. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2001.

ARAUJO, R. M. de L.; FRIGOTTO, G. Práticas pedagógicas e ensino integrado. Revista Educação em Questão, Rio Grande do Norte, v. 52, n. 38, p. 61-80, maio/ago. 2015. DOI: https://doi.org/10.21680/1981-1802.2015v52n38ID7956. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/7956. Acesso em: 9 dez. 2018.

BARBOSA, E. F.; MOURA, D. G. de. Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Boletim Técnico do Senac: revista da educação profissional, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 48-67, maio/ago. 2013. Disponível em: https://www.bts.senac.br/bts/article/view/349/333. Acesso em: 19 jun. 2019.

BARROS, M. das G.; CARVALHO, A. B. G. As concepções de interatividade nos ambientes virtuais de aprendizagem. In: SOUSA, R. P. de; MOITA, F. M. G. da S. C.; CARVALHO, A. B. G. (org.). Tecnologias digitais na educação. Campina Grande: EDUEPB, 2011. p. 209-232. Disponível em: http://books.scielo.org/id/6pdyn/pdf/sousa-9788578791247.pdf. Acesso em: 20 jun. 2019.

BECKER, F.; MARQUES; T. B.; MENEGOTTO, D. B. Práticas docentes em ambientes virtuais de aprendizagem: O planejamento da organização didática por meio do uso da linguagem escrita. Interfaces da Educação, Paranaíba, v. 5, n. 12, p. 208-223, 2014. ISSN 2177-7691. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/104333/000939432.pdf?sequence=1. Acesso em: 19 jun. 2019.

BLIKSTEIN, P. O mito do mau aluno e porque o Brasil pode ser o líder mundial de uma revolução educacional. 25 jul. 2010. Disponível em: http://www.blikstein.com/paulo/documents/books/Blikstein Brasil_pode_ser_lider_mundial_em_educacao.pdf. Acesso em: jun. 2019.

BOTELHO, R. G.; OLIVEIRA, C. da Cruz de. Literaturas branca e cinzenta: uma revisão conceitual. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 44, n. 3, p. 501-513, set./dez. 2015. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1804/3251. Acesso em: 20 nov. 2019.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. (org.). Ensino médio integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

GOLDIM, J. R. Utilitarismo. Porto Alegre, 1998. Disponível em: https://www.ufrgs.br/bioetica/utilitar.htm. Acesso em: 10 jun. 2021.

GUIMARÃES, M. J. E. Interdisciplinaridade: consciência do servir. In: FAZENDA, I. (org.). O que é interdisciplinaridade? São Paulo: Cortez, 2008. p. 125-134.

GUSDORF, G. Prefácio. In: JAPIASSU, H. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago, 1976. p. 7-27.

LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LÜCK, H. Pedagogia Interdisciplinar: fundamentos teórico-metodológicos. Petrópolis: Vozes, 1994.

MINAYO, M. C. de S. Disciplinaridade, interdisciplinaridade e complexidade. Emancipação, Ponta Grossa, v. 10, n. 2, p. 435-442, 2010. DOI: https://doi.org/10.5212/emancipacao.v.10i2.435-442. Disponível em: https://www.revistas2.uepg.br/index.php/emancipacao/article/view/1937/1880. Acesso em: 18 dez. 2018.

MORÁN, J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. Ponta Grossa: UEPG/PROEX, 2015. 180 fls. p. 15-33. (Coleção Mídias contemporâneas: Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens, v. 3). Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/mudando_moran.pdf. Acesso em: 4 jun. 2021.

MOURA, D. H. Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectivas de integração. Holos, Rio Grande do Norte, v. 23, n. 2, p. 4-30, 2007. DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2007.11. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/11/110. Acesso em: 12 dez. 2018.

PADOIN, E. Concepções do ensino médio integrado no Instituto Federal de Santa Catarina: possibilidades a partir do referencial CTS. 2020. Tese (Doutorado em Tecnologia e Sociedade) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2020. Disponível em: Repositório Institucional da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (RIUT): Concepções do ensino médio integrado no Instituto Federal de Santa Catarina: possibilidades a partir do referencial CTS (utfpr.edu.br). Acesso em: jun. 2021.

RAMAL, A. Educação com tecnologias digitais: uma revolução epistemológica em mãos do desenho instrucional. In: SILVA, M. (org.). Educação online: teorias, práticas, legislação e formação corporativa. São Paulo: Loyola, 2003. p. 183-198.

RAMOS, M. Currículo integrado: Práticas de integração curricular e interdisciplinaridade na educação profissional, João Pessoa, p. 1-4, 2017. Disponível em: https://www.ifpb.edu.br/joaopessoa/ensino/articulacao-pedagogica/projeto-de-atualizacao-dos-ppcs/2017/encontros-pedagogicos-2017/ii-encontro-pedagogico-de-2017/texto-curriculo-integrado-e-interdisciplinaridade.pdf/@@download/file/Texto%20-%20Curr%C3%ADculo%20Integrado%20e%20Interdisciplinaridade.pdf. Acesso em: 25 maio 2021.

RAMOS, M. Possibilidades e Desafios na Organização do Currículo Integrado. In: RAMOS, M. N.; FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. (org.) Ensino Médio Integrado: Concepção e Contradições. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

REPSOLD, M.; MARINHO, V. Formação continuada para coordenadores pedagógicos: Módulo VI: Tecnologia educacional. Rio de Janeiro: [Governo do Estado do Rio de Janeiro], 2005. 56 p.

SANTOMÉ, J. T. Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SILVA, Â. Educação e tecnologia: entre o discurso e a prática. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 19, n. 72, p. 527-554, jul./set. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v19n72/a05v19n72.pdf. Acesso em: 21 jun. 2019.

VALENTE, J. A. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Curitiba, Edição especial, n. 4, p. 79-97, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-4060.38645. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/nspe4/0101-4358-er-esp-04-00079.pdf. Acesso em: abr. 2019.

VALENTE, J. A. et al. O computador na sociedade do conhecimento. Campinas: UNICAMP/NIED, 1999.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Publicado
04-04-2022
Como Citar
MARTINS, R. A. P.; CORREIA NETO, S. J. As tecnologias digitais educacionais nos Institutos Federais de Educação: um pilar à formação integral. Revista Vértices, v. 24, n. 1, p. 117-133, 4 abr. 2022.
Seção
Artigos de revisão