O estudante do ensino superior: identificando categorias de análise

Autores

  • Carlos Antonio de Souza Moraes Universidade Federal Fluminense
  • Thaynara Moreira Botelho
  • Thuanny Alves Fonseca
  • Danielle de Oliveira Almeida
  • Joelma Candido Bastos

DOI:

https://doi.org/10.5935/1809-2667.20110034

Palavras-chave:

Educação, Estudante, Ensino superior, Perfil, Assistência estudantil

Resumo

Por meio e revisão de literatura objetiva-se identificar categorias que contribuam para analisar a atual situação dos estudantes do ensino superior brasileiro. A relevância desta proposta está em pensar a educação no Brasil e contribuir para os debates acerca da reformulação de currículos dos cursos de graduação. Para tanto, utiliza indicadores nacionais, não desconsiderando a realidade internacional. Já no âmbito local, apresenta uma proposta em operacionalização na UFF/Campos. Os resultados demonstram que o trabalho, a família, a assistência estudantil, além das características gerais do estudante (origem socioeconômica, perfil, relação com a universidade, etc.) são categorias fundamentais para análise de tal realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Antonio de Souza Moraes, Universidade Federal Fluminense

Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense, Mestre em Políticas Sociais pela Universidade Estadual do Norte Fluminense, Membro do Grupo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisa em Cotidiano e Saúde. Professor Assistente do Departamento de Serviço Social de Campos/ Universidade Federal Fluminense/ Campos dos Goytacazes/RJ, Brasil

Thaynara Moreira Botelho

Graduanda em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense em Campos dos Goytacazes/RJ, Brasil

Thuanny Alves Fonseca

Graduanda em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense em Campos dos Goytacazes/RJ, Brasil

Danielle de Oliveira Almeida

Graduanda em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense em Campos dos Goytacazes/RJ, Brasil

Joelma Candido Bastos

Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense em Campos dos Goytacazes/RJ, Brasil

Referências

BAPTISTA, D. M. T. O debate sobre o uso de técnicas qualitativas e quantitativas de pesquisa. In: São Paulo. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. O uso de abordagens qualitativas na pesquisa em Serviço Social: um instigante desafio. São Paulo, 1994, p. 19-26.

BISSERET, N. Les inégaux ou La sélection universitaire. Paris: Presses universiaires de France, 1974.

BRASIL. Lei n. 10.172/2001. Plano Nacional de Educação.

FINATTI, B. E. Perfil sócio, econômico e cultural dos estudantes da Universidade Estadual de Londrina-UEL- Indicadores para implantação de uma política de assistência estudantil. Libertas, Juiz de Fora, v.2, n.1, p. 188–206, dez. 2007.

FOGAÇA, A. A educação e reestruturação produtiva. In: FOGAÇA, A. (Org.). Políticas de emprego no Brasil. Campinas: Instituto de Economia Unicamp, 1998. p. 30-45.

GONDIM, S. M. G. Perfil profissional e mercado de trabalho: relação com formação acadêmica pela perspectiva de estudantes universitários. Estudos de psicologia, Natal, v. 7, n.2, jul/dez, 2002.

GOUVEIA, A. J. Democratização do ensino superior. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 50, n. 122, p. 232-244, out./dez. 1968.

GRIGNON, C.; GRUEL, L. La vie étudiante. Paris: Presses Universitaires de France, 1999.

HOGGART, R. La culture du pauvre. Paris: Minuit, 1970.

INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo de educação superior. Brasília: INEP, 2004.

LAHIRE, B. Les manieres d’etudier. Equete 1994. Cahiers de Love, Paris, n. 2, 1997.

MUZZETE, L. R. Trajetória social, dote escolar e mercado matrimonial: um estudo de normalistas formadas em São Carlos nos anos 40. Tese (Doutorado em Educação)- Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 1997.

PORTES, É. A. Algumas dimensões culturais da trajetória de estudantes pobres no ensino superior público: o caso da UFMG. R. Bras. Est. Pedag., Brasília, v.87, n. 216, p. 220 – 235, maio/ago, 2006.

SAVIANI, D. O trabalho como princípio educativo frente às novas tecnologias. In: FERRETTI, C. J.; ZIBAS, D. M. L.; MADEIRA, F. R.; FRANCO, M. L. P. B. (Orgs.). Novas tecnologias, trabalho e educação: um debate multidisciplinar. Petrópolis: Vozes, 1994. p. 151-68.

SOUZA, S. J. “Por quê uns e não outros?” Caminhada de estudantes de maré para a universidade. Tese (Doutorado em educação)- Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1999.

VIANA, M. J. B. Longevidade escolar em famílias de camadas populares: algumas condições de possibilidade. 1998. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1998.

ZAGO, N. Do acesso à permanência no ensino superior: percursos de estudantes universitários de camadas populares. Revista Bras. de educação, v. 11, n. 32, maio/ago. 2006.

Downloads

Como Citar

MORAES, C. A. de S.; BOTELHO, T. M.; FONSECA, T. A.; ALMEIDA, D. de O.; BASTOS, J. C. O estudante do ensino superior: identificando categorias de análise. Revista Vértices, [S. l.], v. 13, n. 3, p. 205–218, 2011. DOI: 10.5935/1809-2667.20110034. Disponível em: https://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/1809-2667.20110034. Acesso em: 4 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos Originais