Interdisciplinaridade no ensino fundamental: uma análise a partir de depoimentos de professores

  • Lucas Dominguini Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, Campus Criciúma/SC
  • Rosecler Bilíbio Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC)
Palavras-chave: Interdisciplinaridade, Ensino Fundamental, Água

Resumo

Este trabalho analisou a contribuição da interdisciplinaridade no ensino fundamental. Elaborou-se um roteiro com cinco perguntas que contemplam a concepção dos professores sobre o conceito de interdisciplinaridade, práticas interdisciplinares, dificuldades e atividades que envolvem o tema água. O questionário foi realizado com 17 professores de uma escola pública da rede municipal de ensino de Florianópolis/SC. Os resultados evidenciam que os professores apresentam compreensão do que se trata o tema interdisciplinaridade. Por outro lado, apesar de se dizerem preparados para trabalhar de forma interdisciplinar, apresentam motivos para justificar a dificuldade de realizar essa atividade em sala de aula. Por fim, o tema água mostrou-se algo capaz de atuar como tema transversal e promover ações interdisciplinares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Dominguini, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, Campus Criciúma/SC
Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professor do Instituto Federal de Educação,Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, Campus Criciúma. E-mail: lucas.dominguini@ifsc.edu.br.
Rosecler Bilíbio, Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC)
Especialista em Ensino de Ciências pelo Instituto Federal de Santa Catarina. Pesquisadora no Laboratório Biológico de AnáliseQuímica e Microbiológica. E-mail: roseclerbio@gmail.com

Referências

ARROYO, Miguel. Escola plural. Proposta pedagógica Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte. Belo Horizonte: SMED, 1994.

AUGUSTO, G. S. et al. Interdisciplinaridade: concepções de professores da área ciências da natureza em formação em serviço. Ciências e Educação, v. 10, n. 2, p. 277-289, 2004.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: meio ambiente e saúde. Brasília: MEC/SEF, 1998. p. 138.

BREHRENS, M.A.; OLIARI, A. L. A evolução dos paradigmas na educação: do pensamento científico tradicional à complexidade. Dialogo Educacional, Curitiba, v. 7, n. 22, p. 53-66, set./dez. 2007.

DEMO, Pedro. Educação & conhecimento: relação necessária, insuficiente e controversa. Petrópolis: Vozes, 2001.

FAZENDA, I.C.A. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia? 5. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2002a.

FAZENDA, I.C.A. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 2. ed. São Paulo: Edições Papirus, 2002b.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

______. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 20. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

HERNÁNDEZ, Fernando. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.

GADOTTI, Moacir. Interdisciplinaridade: atitude e método. Disponível em: <http://siteantigo.paulofreire.org/pub/InstituSubInstitucional1203023491It003Ps002Interdisci_Atitude_Metodo_1999.pdf>. Acesso em: 20 jan. 2013.

HARTMANN, A. M.; ZIMMERMANN, E. O trabalho interdisciplinar no ensino médio: a reaproximação das duas culturas. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 7, n. 2, 2007.

JAPIASSU, Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

LEFF, E. Interdisciplinaridade em ciências ambientais. São Paulo: Signus Editora, 2000.

LEFF, E. Ambiente e Interdisciplinariedad em la educacion superior. Revista de Educação Pública, v. 2. n. 2. Editora Universitária da UFMT, Cuiabá, 1993.

LUCATTO, L. G.; TALAMONI, J. L. B. A construção coletiva interdisciplinar em educação ambiental no ensino médio: a microbacia hidrográfica do Ribeirão. Ciência e Educação, v. 13, n. 3, p. 389-398, 2007.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

MORIN, Edgar. Educação e complexidade, os sete saberes e outros ensaios. São Paulo: Cortez, 2005.

MENEZES, C.H.; FARIA, A.G. Utilizando o monitoramento ambiental para ensino de química. Pedagogia de Projeto. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2011.

PETRAGLIA, I.C. Interdisciplinaridade: o cultivo do professor. São Paulo: Pioneira, 1993.

SILVA, O. S.; RODRIGUES, M. A. A interdisciplinaridade na visão de professores de química do ensino médio: concepções e práticas. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2011.

THIESEN, Juares da Silva. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo de ensino-aprendizagem. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 39, set./dez. 2008.

TORRALBO, D.; MARCONDES, M. E. R. A abordagem do tema ambiental água no ensino médio: visão de especialistas e de professores de Química. Disponível em: <http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=939&class=21>. Acesso em; 18 jun. de 2010.

Publicado
27-07-2015
Como Citar
DOMINGUINI, L.; BILÍBIO, R. Interdisciplinaridade no ensino fundamental: uma análise a partir de depoimentos de professores. Revista Vértices, v. 17, n. 1, p. 75-89, 27 jul. 2015.
Seção
Artigos Originais